Governador Gladson Cameli percorre áreas afetadas pela maior enchente da história de Cruzeiro do Sul no Acre

Governador Gladson Cameli percorre áreas afetadas pela maior enchente da história de Cruzeiro do Sul no Acre

Cruzeiro do Sul enfrenta a maior cheia da sua história. De acordo com a Defesa Civil a enchente já atingiu mais de 38 mil pessoas

Porto Velho, RO - O governador do Acre Gladson Cameli (PSDB) iniciou o sábado, 20, visitando áreas alagadas pela cheia do Rio Juruá em Cruzeiro do Sul. Ao lado do Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, o prefeito Zequinha Lima e a primeira dama, Ana Paula Cameli, o chefe do Palácio Rio Branco visitou a comunidade Boca do Moa.

Cruzeiro do Sul enfrenta a maior cheia da sua história. De acordo com a Defesa Civil a enchente já atingiu mais de 38 mil pessoas.

O governador lamentou a situação das famílias. A primeira-dama se referiu a situação como um sentimento de impotência. “A sensação é de impotência, mas estamos aqui visitando e tentando amenizar a situação dessas famílias com a doação de cestas básicas, água potável e material de limpeza”, disse.

Gladson lembrou que além das enchentes, a população precisa continuar com os cuidados em relação à Covid-19. “É preciso lembrar que ao mesmo tempo não podemos esquecer que a Covid não passou e precisamos tomar os cuidados necessários “.

A agenda com o Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil continua neste sábado com visitas a Tarauacá, Sena Madureira e Rio Branco, que são as cidades mais atingidas pela enchente no Acre.

CHEIA NO INTERIOR DO ACRE

Em algumas cidades a situação é extremamente preocupante. Em Cruzeiro do Sul, a cheia do Rio Juruá já é maior da história. Na manhã deste sábado, 20, a medição mostrou que o rio está com 14,33 metros. O volume ultrapassa o nível da histórica alagação e 2017 quando o Rio Juruá alcançou 14,24 metros.

O número de desabrigados só cresce a cada minuto. Já são mais de 9,5 mil famílias atingidas. Cerca de 205 famílias estão desabrigadas. De acordo com a Defesa Civil, a cheia história já atinge mais de 35 mil pessoas.

Outro município muito atingido pela enchente é Sena Madureira. O nível do Rio Iaco nesta manhã é de 17,94 metros. Imagens divulgadas na internet impressionam e comprovam a força das águas. O centro da cidade está inundado. Nem a prefeitura escapou. A sede da administração municipal foi invadida pela alagação do rio que corta a cidade. Mais de 4 mil famílias já estão desabrigadas.