Viagem do governador Marcos Rocha e da primeira dama Luana Rocha à Brasília custaram R$ 11.365,73 ao contribuinte rondoniense

Viagem do governador Marcos Rocha e da primeira dama Luana Rocha à Brasília custaram R$ 11.365,73 ao contribuinte rondoniense

Porto Velho, RO – O governador de Rondônia  Marcos Rocha (PSL) e a futura secretária de SEAS Luana Rocha, viajaram para Brasília as custas dos contribuinte rondoniense e para isso receberam diárias no valor de R$ 2.240,00 para o governador e para futura secretária da SEAS R$ 1.990,00, perfazendo um total de R$ 4.230,00 e R$ 7.135,73 em passagens aéreas da Gool e LATAM.

A viagem do primeiro casal de Rondônia para prestigiar a posse do presidente Jair Bolsonaro (PSL) custou aos cofres públicos um total de R$ 11.365,73 (Onze Mil, trezentos e sessenta e cinco reais e setenta e três centavos), enquanto isso o Governo de Rondônia está sem secretários, diretores e demais nomeações para administrar Rondônia.

SEXTA-FEIRA
Depois de três dias sem comandantes nas pastas estaduais, o governador Marcos Rocha nomeia, nessa sexta, sua equipe de governo, já escolhida, mas ainda não oficializada.

A solenidade será no teatro estadual, a partir das 9 horas da manhã. As nomeações terão valor legal apenas quando publicadas no Diário Oficial do Estado, coisa que poderá acontecer, apenas no final de semana, numa edição extra do DOE. 

Rocha tomou posse na manhã de terça e tão logo saiu do Palácio das Artes,  fez um curtíssimo pronunciamento depois de empossado, saiu correndo – junto com sua esposa, dona Luana e com o seu secretário de saúde, Fernando Máximo – para voar a Brasília e participar da posse de Jair Bolsonaro.
O casal Rocha, aliás, divulgou fotos nas redes sociais ao lado do Presidente (uma delas ilustra a coluna de hoje) e da primeira dama, Michele.

Nesta quinta, Rocha e Máximo se encontram com o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, em busca de apoio e para solução urgente em relação á surperlotação do Hospital João Paulo II e de liberação de 85 milhões de reais para obras do Heuro.

Aliás, o governador que saiu, Daniel Pereira, disse que deixou nos cofres do Estado mais de 65 milhões para que as obras do Heuro pudessem ser licitadas. Marcos Rocha não confirmou a informação.