Venezuela vive dia de protestos contra e a favor de Maduro

Venezuela vive dia de protestos contra e a favor de Maduro

Opositores se reúnem em protesto contra Maduro na Venezuela — Foto: REUTERS/Adriana Loureiro

Os opositores venezuelanos, liderados pelo autoproclamado presidente interino Juan Guaidó, saíram às ruas neste sábado (2) em protesto contra Nicolás Maduro. Os partidários do chefe de Estado também se mobilizaram em Caracas.

As duas manifestações foram convocadas para começar ao mesmo tempo (12h pelo horário de Brasília), e a escolha da data dos protestos não é um acaso. Esse sábado marca a comemoração simbólica do 20º aniversário do governo chavista.

A marcha da oposição tem como objetivo pedir a saída de Maduro do poder. Segundo Guaidó, os manifestantes querem enviar “uma mensagem à União Europeia (UE)" para agradecer "a todos os países que em breve vão nos reconhecer". Os opositores se reuniram em frente à sede da UE no leste de Caracas, como um sinal aos países (França, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Portugal e Holanda) que lançaram um ultimado para que Maduro aceite organizar "eleições livres".

Guaidó, de 35 anos, se autoproclamou presidente depois que a Assembleia Nacional declarou Maduro "usurpador" após assumir, em 10 de janeiro, um segundo mandato considerado ilegítimo por ser resultado de eleições "fraudulentas". Mas Maduro, 21 anos mais velho que seu adversário, conta com a China e a Rússia e diz ser vítima de um golpe de Estado, no qual Washington usa Guaidó como "fantoche".

"Rua e mais rua para defender a pátria e a revolução", lançou Maduro a seus seguidores, que estarão concentrados na Plaza Bolivar, no coração de Caracas, a 10 km da sede da UE.