Órgãos Competentes Por João Silvino

Quem pensa que “órgãos competentes” significam um piano bem afinado, está mal informado. Então, o que é afinal?"Competente" diz respeito exclusivamente à qualidade do trabalho que realiza, nada com qualidades morais.

Para a palavra competência temos também vários significados, como por exemplo; idoneidade, eficiência, qualidade, capaz, suficiente, que corresponde, que é adequado, precisamente indispensável, legal entre outros.

Órgão pode significar a parte do corpo vivo que preenche uma função necessária à vida. Peça elementar de máquina, destinada a preencher determinada função.

Pessoa ou tudo que serve de instrumento ou de meio para que alguma coisa seja conseguida. A máquina citada, podemos nos referir a Estatal, o nosso sistema político. Pode significar também, uma pessoa ou tudo que serve de instrumento ou de meio para que alguma coisa seja conseguida.

Instituição que tem o encargo de aplicar uma legislação. Se juntarmos as duas palavras, órgão e competente nos lembraremos de como tudo isso só funciona teoricamente em nosso dia a dia. Já dizia o Abraham Lincoln; “Ninguém é suficientemente competente para governar outra pessoa sem o seu consentimento”.

Essa frase se encaixa bem no sistema político brasileiro, quando vereadores, deputados e senadores votam projetos, que nem passam pela ciência ou conhecimento da grande maioria do povo.

Essa frase se encaixa perfeitamente para o Brasil, porque o que se determina como “órgãos competentes”, nem sempre funcionam conforme seus significados e obrigações.

Tudo é muito complicado, lento e tratado com muita má vontade, sobretudo para pessoas sem formação acadêmica, sem grau de instrução, gente esquecida e discriminada pelo poder público e os mesmos órgãos denominados competentes.

João Silvino – Síndico Admistrador - Santa Rosa/Guarujá/SP

Comente esta Notícia