Morre policial aposentado Josmar  Câmara Feitosa

Morre policial aposentado Josmar  Câmara Feitosa

Porto Velho, RO -  Faleceu nesta data na cidade de São Luiz no Maranhão onde residia o nosso sindicalizado Josmar  Câmara Feitosa, o seu corpo será velado e sepultado na capital do Maranhão.

 O colega Câmara trabalho no interior e também em Porto Velho onde  se aposentou e era um profissional muito querido e respeitado por todos que conviveram com o mesmo.

 O presidente Airton Procópio em nome da sua diretoria e de todos os colegas lamenta o falecimento e roga a Deus o conforto pela morte de mais um companheiro que nos deixa.

 “Aos nossos heróis do presente
Do passado com suas histórias
Engrandecem a nossa gente
Exalta-nos com suas glórias “

Um dos versos do Hino da Polícia Civil do Estado de Rondônia.

JOSMAR CÂMARA FEITOSA

A minha história se deu quando eu estava lotado na DRE, por volta dos idos de 1983, nosso destemido delegado titular era José Jório Ismael da Costa. Toda a equipe era fechada com ele, – o temido “Escovão”, muito amigo da equipe e querido pela mesma.

Nós apelidávamos a nossa equipe de ‘elite’, pois era formado por excelentes profissionais, como o saudoso Luís Ataíde, paulista de Drascena – que por sinal foi quem me apresentou a música sertaneja, em razão de suas raízes e que até os dias atuais, não pode faltar no meu repertório musical – o falecido Ivaldo Pimenta Fernandes, policial dos mais corajosos, cujo espaço aqui seria pequeno para descrever o mesmo, pois tive a oportunidade de comprovar isso quando fui destacado para o garimpo pela primeira vez e ele foi o meu parceiro, (Garimpo do Embaúba) ano de 1983.

Só nós dois de Agentes, um delegado e um escrivão, para cuidar de milhares de garimpeiros, podendo por ai ver a qualidade e o destemor da equipe, compunha ainda a equipe do DRE, o recém falecido José Carlos de Araújo, o policial Marcondes, que abria garrafa de bebidas com um soco técnico de cair o queixo, tinha também o Paulo Calixto, excelente policial, dispensando maiores comentários, tinha ainda na equipe o Antônio Miranda dos Santos dentre outros.

Certa ocasião tivemos que fazer uma busca e apreensão na casa de um traficante famoso na época de nome “Iramar”, tanto que o mesmo saiu até nas páginas da revista Veja, devido a sua periculosidade.

Naquele tempo não havia necessidade de mandado do Juiz, pois bastava o delegado se fazer presente e já era possível se realizar a busca. Naquela ocasião, o Dr. Jório estava presente e foi aquele alvoroço por se tratar do elemento famoso e perigoso.

Me lembro que quando estávamos fazendo a ‘varredura’ no local’, toda vez que eu me aproximava de determinada área da residência, a comparsa do mesmo dizia para mim que o delegado estava me chamando, ocorrendo esse aviso por duas vezes, quando então perguntei ao delegado Jório se de fato ele havia me chamado e diante da sua negativa, desconfiados fomos até o lugar que a comparsa tentava me desviar a atenção.

E então encontramos vestígios de que a terra fora removida, oportunidade em que o Dr. Jório mandou o bandido cavar a área e foram encontrado 10 quilos de maconha prensada, tendo imediatamente algemados os meliantes, ocorrendo muita alegria e satisfação na equipe, em razão do achado.

O que mais chamou a atenção nesse fato foi o nosso faro e perspicácia no desenrolar da operação, cujas prisões ensejaram muita comemoração, em razão da periculosidade daqueles indivíduos e por terem eles sido retirados de circulação e que mesmo agindo há bastante tempo nem mesmo a Federal o tinha prendido.

Essa é minha história juntamente com todos os participantes dessa DRE do passado. Oportunamente trarei novas história pois o nosso passado e todas as dificuldades vividas, deve m ficarem registradas para o futuro.

Pesca Esportiva