Marco Aurélio alfineta Celso de Mello após mudança sobre recurso de Bolsonaro para o plenário presencial

Marco Aurélio alfineta Celso de Mello após mudança sobre recurso de Bolsonaro para o plenário presencial

Porto Velho, RO -  Decisão do ministro decano Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, de alterar para o plenário presencial o julgamento do recurso de Jair Bolsonaro, que pede para depor por escrito - e não presencialmente - no processo que apura se houve interferência do governo na Polícia Federal gerou mais um episódio de tensão com Marco Aurélio Mello.

A decisão de levar o recurso para o plenário virtual foi tomada inicialmente por Marco Aurélio, durante a licença médica de Celso de Mello, o que teria irritado profundamente o decano, fazendo-o antecipar seu retorno à Corte. Em uma decisão que reverteu a posição de Marco Aurélio, portanto, ele voltou o caso para o plenário presencial.

Para fundamentar seus argumentos, fez um voto de 46 páginas, motivo de provocação por parte de Marco Aurélio, segundo apuração de jornalistas da CNN Brasil. “Vejo com bons olhos a decisão de Celso de Mello, quanto maior visibilidade ao julgamento, melhor”, disse o magistrado, se referindo à transmissão da sessão pela TV Justiça.

Segundo o repórter Igor Gadelha, Marco Aurélio afirmou ainda que seu próprio voto, que levou o caso para o plenário virtual, havia sido bem fundamentado, porém “não com a fundamentação do ministro Celso, que levou 46 páginas para obrigar o presidente Jair Bolsonaro a depor presencialmente. Não precisei de tanto e nem teria tempo para escrever tanto”. 

Em seu despacho, Celso de Mello afirmou que Marco Aurélio “não poderia” ter tomado tal decisão em sua ausência, indicando o clima tenso entre os dois. Celso de Mello, que se aposentaria no início de novembro, antecipou sua saída definitiva do Supremo para 13 de outubro.