Mais de 90 pacientes realizaram cirurgias eletivas em uma semana no Hospital de Campanha de Rondônia

Mais de 90 pacientes realizaram cirurgias eletivas em uma semana no Hospital de Campanha de Rondônia

Só nesta semana, 95 pacientes passaram por procedimentos cirúrgicos no Hospital de Campanha

Porto Velho, RO - Depois de passar um ano e quatro meses impossibilitado de realizar as cirurgias eletivas, devido a pandemia do coronavírus, o Governo de Rondônia lançou oficialmente na quinta-feira (19) o retorno dos serviços, onde os procedimentos cirúrgicos serão realizados no Hospital de Campanha de Rondônia (HCamp), em Porto Velho. A retomada dos serviços foi possível devido a queda no número de internações em relação à  covid-19.

‘‘Em razão da pandemia do coronavírus, esse procedimento havia sido suspenso por questão de segurança, mas hoje oficialmente a gente reabre as ações. O Hospital de Campanha passa a ser a retaguarda do Hospital de Base Ary Pinheiro (HBAP), ajudando a dar agilidade nos atendimentos da nossa população. É muito bom ter passado aquele momento tão difícil da pandemia e agora poder voltar com as cirurgias eletivas’’, afirma o governador Marcos Rocha.

O retorno das cirurgias eletivas foi comemorado pelo Governo, equipe médica e pacientes. ‘‘Dessa forma a gente desafoga os centros cirúrgicos e as enfermarias do Hospital de Base, e assim também ajuda no fluxo de atendimento do Hospital e Pronto Socorro João Paulo II que encaminha pacientes para o HBAP, no caso de procedimentos mais complexos’’, reforça o gestor da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo.

Ozélio Oliveira recebeu com esperança e alegria a notícia que passará por cirurgia

Só nesta semana, 95 pacientes passaram por procedimentos cirúrgicos no HCamp, que contempla cirurgias de: colecistectomia (remoção da vesícula biliar), hérnias inguinal, epigástrica, umbilical, incisional, histerectomia (remoção de útero), colpoperineoplastia, miomectomia (remoção de mioma), polipectomia (remoção de pólipos do intestino), além de pequenos procedimentos diários e retirada de tumores e lipomas.

Para o autônomo Ozélio Oliveira, 40 anos, do município de Ministro Andreazza, o retorno das cirurgias eletivas foi um alívio. Ele vai ser submetido a uma cirurgia de hérnia umbilical. ”Foi uma alegria saber que agora vou fazer a cirurgia; estava preocupado, pois a tendência era só piorar, não consigo fazer muito esforço”.

DECISÃO ASSERTIVA

O Hospital de Campanha foi adquirido pelo Governo de Rondônia, para salvar a vida dos rondonienses durante o pico da pandemia do coronavírus.

A unidade de saúde, agora vazia de pacientes com covid-19, está pronta para o atendimento pós-pandemia. Uma comprovação de que a aquisição da estrutura permanente para atendimento dos casos da covid-19, ao invés de uma hospital provisório de lona como foi a aposta de muitos estados, foi uma decisão assertiva do Poder Executivo.

No HCamp mais de duas mil pessoas foram recuperadas da doença e a estrutura ampla e moderna com 100 leitos, sendo 10 clínicos e 90 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), começa, então, a ter esta nova missão: as cirurgias eletivas.