Justiça revoga prisão de policial federal que matou flanelinha em Porto Velho

Justiça revoga prisão de policial federal que matou flanelinha em Porto Velho

Porto Velho, RO - O juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri revogou a prisão do policial federal Alexandre Almeida Barbosa, de 33 anos, condenado a 3 anos de prisão por assassinato do flanelinha Alison Silva Sena, na esquina das ruas Quintino Bocaiúva com José de Alencar, próximo à quadra do Deroche Pequeno Franco, região central de Porto Velho, em fevereiro de 2012. 

Alexandre atualmente reside em Foz do Iguaçu (PR) e seus advogados entraram com um recurso na Vara do Júri para revogar a prisão preventiva contra o policial, alegando que ele está com sérios problemas de saúde (tuberculose) e que precisa ser submetido a uma cirurgia de desentupimento da veia cava e, portanto, no grupo de risco de contração do Coronavírus. 

Após revogar a prisão, o Juízo rondoniense determinou a expedição de Guia de Execução Penal à Comarca de Foz do Iguaçu, onde o policial deverá comparecer mensalmente para cumprimento da pena. No dia do crime, o policial estava estacionando seu veículo quando se assustou com o flanelinha que estava com lanterna na mão, atirando contra ele. 

A vítima ainda foi socorrida, mas morreu no hospital, após ser abandonada pelo policial à própria sorte. Durante a fuga, o policial ainda se envolveu em um acidente automobilístico e preso em um posto de gasolina da Pinheiro Machado. O julgamento do policial ocorreu em setembro de 2017 e, na sentença, a  juíza Kerley Regina Ferreira de Arruda assim se pronunciou: 

“Quanto à culpabilidade, o réu tinha consciência da ilicitude e reprovabilidade de sua conduta, razão pela qual deveria agir de forma diversa; agiu com consciência e vontade para matar. Atirou em pessoa desarmada e que não lhe impunha qualquer risco a sua vida”, sentenciou.