Justiça condena estelionatário ´freelancer´que vendia seguro e dava golpe em clientes e seguradoras

Justiça condena estelionatário ´freelancer´que vendia seguro e dava golpe em clientes e seguradoras

Porto Velho, RO - Preso desde o início de março pela Polícia Civil de Porto Velho, o estelionatário Adonai dos Santos Rego, foi condenado a 4 anos e 10 meses de prisão, além do pagamento de multa, por vários golpes praticados contra clientes e seguradoras da capital nos últimos anos. 

Os golpes podem chegar a cifra de R$ 100 mil e foram aplicados em pessoas que eram amigas do estelionatário e que confiaram seus dados pessoais, com o foi o caso de uma vendedora que possui um boxe no mercado do Quilômetro Um que teve prejuízo de mais de R$ 20 mil. 

De acordo com informações da polícia, o vendedor negociava o seguro com suas vítimas, mas exigia que o pagamento fosse feito em espécie para ele, fazendo com que ele ficasse com os valores para si. Para não levantar suspeita, às seguradoras ele fornecia números de contas bancárias, de onde eram descontados os valores referente ao valor da parcela do seguro. 

Adonai foi condenado pelo juízo da 2ª Vara Criminal de Porto Velho por infração aos artigos 155, §4º, inciso II (fraude), do Código, 83 vezes – em continuidade delitiva, nos termos do artigo 71 do Código Penal; e 168, §1º, inciso III (utilizou-se da profissão), e  concurso material. 

O condenado trabalhava como vendedor autônomo ´freelancer´ das seguradoras Invicta Seguradora e Nikareta Administradora e através delas intermediava a contratação de seguros para as vítimas. Entretanto, mesmo recebendo os valores, consignava nos sistemas das seguradoras/corretoras e nos contratos que os pagamentos seriam realizados mediante débito bancário. 

Esse débito era feito na conta-corrente da vítima Maria Auxiliadora, que relevou que conhece o malandro há 27 anos, e com quem já tinha realizado um seguro, na época do banco Bamerindus. Dona Maria disse que não sabia do golpe e que só desconfiou de que estava sendo vítima de fraude após fazer uma visita ao banco e constatar a movimentação suspeita.