Hetooro Rauno ´aplicou´ na Justiça Eleitoral e foi condenado

Hetooro Rauno ´aplicou´ na Justiça Eleitoral e foi condenado

Porto Velho, RO - O Juízo da 2ª Vara eleitoral de Porto Velho condenou Lauro Alencar Souza Neto a um ano e dois meses de prisão no regime aberto por fraude eleitoral . Lauro foi flagrado pelo sistema biométrico da Justiça Eleitoral utilizando dois documentos com nomes diferentes e incurso no artigo 289 (inscrição fraudulenta).

O que chama a atenção no crime é que Lauro Alencar utilizou o nome Hetooro Rauno Alencar Lima Peixoto de Souza, que aliás, é seu antigo nome de batismo. Lauro (ou Hetooro Rauno) entrou em 2007 com um pedido na Justiça de Porto Velho para mudar o nome, pois não aguentava mais ser chacota na escola. 

Na época, Hetooro tinah 17 anos e dizia que nem ele próprio sabia pronunciar direito o nome, e que resolveu mudar porque se parecia com ´touro´. Não gostou do nome de batismo sugerido pelo irmão e resolveu mudar, mas usou do mesmo nome para ´aplicar´na Justiça Eleitoral. 

Na perícia feita nas duas inscrições, a Polícia Federal concluiu que: As fotografias das inscrições eleitorais são semelhantes, aparentando se tratar da mesma pessoas, as assinaturas apresentam grafia semelhante e as inscrições apresentam todas as digitais coincidentes. 

As coincidências levaram a Justiça a decretar o cancelamento da inscrição de Hetooro. No processo, Hetooro pediu sua absolvição porque nunca utilizou o seu título de eleitor para votar e, portanto, sua fraude não causou dano algum ao processo eleitoral. 

Mas, segundo a Justiça Eleitoral, mesmo não utilizado o documento, o simples fato dele ter tirado um documento com dados faltos, por si só já configura crime.