Gilmar Mendes defende punição para manifestações antidemocráticas

Gilmar Mendes defende punição para manifestações antidemocráticas

Porto Velho, RO - Sputnik - O ministro se referiu, entre outras, à manifestação ocorrida neste domingo (31) na Praça dos Três Poderes, em Brasília, onde ativistas pró-Bolsonaro defenderam intervenção militar e fechamento do Congresso e do STF.

"A mim me parece que isso precisa ficar muito claro. Manifestações antidemocráticas elas não apenas são inconstitucionais, mas elas se revelam criminosas e elas têm que ser repudiadas e punidas", disse o ministro para GloboNews.

O juiz acrescentou já ter manifestado sua preocupação ao presidente Jair Bolsonaro, bem como ter condenado a presença do chefe de Estado em atos do tipo.

"Acho tudo isso preocupante e já tive até oportunidade de dizer ao próprio presidente da República que me parecia extremamente inadequado ele participar de manifestações que clamavam pelo fechamento do Congresso, do STF e por qualquer medida antidemocrática", disse Gilmar Mendes.

Por outro lado, Gilmar Mendes afirmou que protestos em frente ao STF não intimidam a Corte, pois "as forças de segurança estão aí para eventualmente protegê-la”.

Mendes comentou o ato realizado na noite deste sábado (30) em frente ao STF. Os manifestantes usavam máscaras brancas e tochas.

"Essa, na madrugada, lembra esses supremacistas raciais brancos e episódios que ocorreram na Alemanha nazista, de modo que é preciso ter muito cuidado, isso não tem nada a ver com democracia", avisou o ministro.

Gilmar Mendes aproveitou a ocasião para defender o inquérito das fake news, no âmbito do qual a Polícia Federal, na quarta (27), realizou buscas na casa de empresários aliados de Bolsonaro, suspeitos em integrar o "Gabinete do Ódio" do presidente, responsável por produção massiva de notícias falsas.

"Algo regular, não temos nenhuma dúvida. E o ministro Alexandre de Moraes vem tomando todas as medidas. Está sendo feito com base no devido processo legal, não há nenhum exagero por parte do STF", alertou ele.

O ministro do STF destacou a importância do combate à notícias falsas que, em sua opinião, representam perigo para a democracia.

"O uso político dessa desinformação, toda essa rede de militantes e robôs que se identificam e contribuem para difusão precisa ser revelado e combatido [...] Isso pode ser muito danoso para a democracia", concluiu.