Empresário de Cacoal Abidiel Pinto Rabelo é preso com 425 quilos de pasta base de cocaína

Empresário de Cacoal Abidiel Pinto Rabelo é preso com 425 quilos de pasta base de cocaína

Apreensão foi feira pela PRF, na BR-163, em Nova Mutum no Mato Grosso

Porto Velho,  RO - Abidiel Pinto Rabelo, irmão do ex-deputado federal Jabes Rabelo, foi preso em flagrante com cerca de 425 kg de pasta base de cocaína, na madrugada deste domingo (5), na BR-163, em Nova Mutum (239 km da Capital, Cuiabá, Mato Grosso). Outro envolvido, que não teve o nome revelado, também foi detido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A PRF informou que, por meio de policiamento orientado pela inteligência, abordou dois veículos que trabalhavam em conjunto para realizar o transporte da droga. Um deles era uma Chevrolet/S10, com placas de Belo Horizonte/MG, conduzida por um senhor de 66 anos que atuava como batedor.

O outro veículo, uma Toyota/Hilux, com placas de Uberlândia/MG, conduzida por um homem de 30 anos e que estava carregada com 410 tabletes da droga. Em ambos veículos foram encontrados rádios transmissores para comunicação durante o trajeto.


Ao ser questionado, o condutor do veículo com a droga disse que a levaria de Campo Novo do Parecis/MT para Uberlândia e que receberia certa quantia em dinheiro para realizar o transporte.

Abidiel, que conduzia o veículo batedor, não se manifestou, mas já possui passagem por tráfico de drogas.


Em 2020, a PRF em Mato Grosso, já apreendeu quase 2 toneladas de cocaína. Somente nessa apreensão, a carga foi avaliada em mais de R$ 53 milhões.

Ficha suja
A família é uma velha conhecida da polícia. No ano de 1991, os irmãos estiveram envolvidos na maior apreensão de cocaína pura do Brasil, naquela época, sendo 554 kg da droga transportado por Abidiel e outro irmão Nobias Pinto Rabelo.

Em 1992, Jabes Rabelo foi cassado por fornecer uma carteira falsa de funcionário da Câmara dos Deputados para seu irmão.
Abidiel já foi apontado como transportador do Cartel de Cáli, segunda maior organização de tráfico mundial, a qual abastece o mercado internacional nos Estados Unidos e Europa, nos anos 90.