Edwilson Negreiros debate sobre a expansão portuária do Belmont audiência pública

Edwilson Negreiros debate sobre a expansão portuária do Belmont audiência pública

Porto Velho, RO - O vereador Edwilson Negreiros, presidente da Câmara Municipal de Porto Velho, presidiu a audiência pública sobre a expansão portuária da região do Belmont, na zona Norte da cidade, com a presença da empresa Engenau Serviços Navais, empresários e lideranças do bairro Nacional, que tem sofrido muito com o desbarrancamento da estrada do Belmont, localizada às margens do rio Madeira. 

Dentro do tema da expansão portuária discutiu-se os problemas da regularização fundiária urbana naquela região, a contenção das encostas que estão sem do engolidas pelo rio Madeira, ameaçando a principal estrada que interliga a zona rural do Nacional à zona urbana de Porto Velho. São problemas preocupantes que vêm se avolumando sem qualquer solução há vários anos pelo Município.

Um representante da Engenau falou sobre os problemas atualmente enfrentados pela empresa na contenção do desbarrancamento e apontou soluções possíveis a curto prazo; Também presente, um represente do Porto de Porto Velho, entendeu como urgente as melhorias na Estrada do Belmont, não apenas para evitar a fuga de empresas petrolíferas, mas também no escoamento da produção agrícola.

De acordo com Edwilson Negreiros, ele já manteve contato com a secretaria de Regularização Fundiária municipal (Semur) e solicitou em caráter de urgência, antes do recesso parlamentar, a apresentação de um projeto para votação  na Câmara  Municipal para solucionar a situação da regularização fundiária da região da estrada do Belmont. 

 “Eu não consigo entender que empresários de grande porte querem investir em nossa capital e não conseguem, devido à burocracia e falta de planejamento rápido e eficiente” comentou. E ressaltou: “Vamos trabalhar junto ao executivo, os empresários e os nossos ilustres vereadores, para que os projetos de leis que dependam da aprovação dessa casa seja de fato e direito apresentados e votados de acordo com o regimento interno, ou seja, dentro da legalidade e transparência total, como tem sido”.