Dirigente da OMS alerta: Brasil não terá vacinação em massa em 2021

Dirigente da OMS alerta: Brasil não terá vacinação em massa em 2021

Porto Velho, RO - A vice-diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mariângela Simão, afirmou nesta terça-feira (13) que "com certeza" o Brasil não terá vacinação em massa contra a Covid-19 em 2021. 

"Não vai ter vacina suficiente no ano que vem para vacinar toda a população, então o que a OMS está orientando é que haja uma priorização de vacinar profissionais de saúde e pessoas acima de 65 anos ou que tenham alguma doença associada", afirmou Simão em entrevista à CNN Brasil.

A a dirigente da OMS, até o final de 2021, "com tudo correndo bem", é possível que existam "duas ou três vacinas aprovadas" disponíveis ao país. "Eu diria que 2022 é um ano que vamos ter mais vacinas porque a gente está com tanta vacina em desenvolvimento... É provável que a gente tenha ainda outras vacinas que cheguem no ano que vem provando serem seguras e eficazes", afirmou.

O governo federal estima que terá 140 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 disponíveis para aplicar na população no primeiro semestre do ano que vem, somando o contrato com a farmacêutica britânica AstraZeneca e a participação do país no programa global Covax Facility, informou o Ministério da Saúde nesta quinta-feira.

De acordo com o secretário-executivo da pasta, Élcio Franco, o Brasil optou por adquirir doses para vacinar 20,2 milhões de pessoas por meio do mecanismo Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS), além de já ter acertado a aquisição de 100 milhões de doses da vacina em desenvolvimento pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.