Bar do Zizi fecha portas e deixa mercado cultural

Bar do Zizi fecha portas e deixa mercado cultural

Porto Velho, RO - Seu Alcimar Francisco do Casal - Zizi inaugurou o Bar em maio de 1962. Após a reforma da parte norte, a edificação recebeu o nome de “Mercado Cultural” e então passou a ser o ponto das realizações dos eventos culturais da cidade. Entre tantos projetos, o único que conseguiu vingar, foi o Ernesto Melo e a Fina Flor do Samba que até hoje movimenta as noites de sexta feira, no agora Calçadão Manelão. Com a inauguração do Mercado Cultural o Bar do Zizi agora denominado Lanchonete do Zizi, continuou atendendo os frequentadores do ambiente. E lá se foram 55 anos em atividade. A filha do Zizi conhecida como Dona Vera assumiu a Lanchonete que ficou famosa por servir uma Saltenha com receita própria e os refrescos de frutas regionais, como cajá, cupuaçu, coco, etc. Outra característica do Bar do Zizi era servir de ponto de referência para os movimentos grevistas. Ali os funcionários públicos quando em greve, faziam seus lanches e até bebericavam uma cerveja geladinha enquanto discutiam as estratégias a serem seguidas pelo movimento.

O tempo passou e resolveram demolir o que restava do Mercado Municipal e construíram uma réplica e rebatizaram com o nome de “Mercado Cultural”, seu Alcimar Zizi ainda participou da inauguração do novo prédio, mas, depois de alguns anos, veio a falecer e então, sua filha Vera Casal assumiu de vez a direção do Bar, que passou a ser chamado de “Lanchonete do Zizi”.

Acontece que desde quando inauguraram o novo prédio, as goteiras, quando chove insistem em não dar trégua. Se a chuva é forte, o interior do Mercado fica totalmente alagado.

Ainda por cima, o palácio do governo foi desativado e com isso os fregueses da lanchonete foram desaparecendo, o golpe fatal foi a transformação da travessa Renato Medeiros em Calçadão Manelão pois, colocaram grades para que os veículos não estacionassem mais em frente ao Mercado e aí foi que a freguesia desapareceu de vez. O cheque mate, veio com a paralisação da maioria dos eventos que aconteciam durante a semana, como o show Sandro & Gioconda as segundas-feiras, a Seresta Cultural as quintas feiras e a Roda de Samba do Beto Cezar aos sábados, só quem continuo foi “Ernesto Melo e a Fina Flor do Samba”.

Vera Cassal após relutar muito, inclusive assumindo prejuízos, apenas para manter a tradição do nome do seu saudoso pai Zizi, resolveu na última sexta-feira dia 27, fechar as portas da Lanchonete do Zizi. Veja as justificativas que Vera postou nas redes sociais: “Eu Vera Casal, decidi por questões pessoais não mais dar continuidade as atividades do BAR DO ZIZI, ha alguns meses vinha pensando em parar por puro cansaço de trabalhar na noite. A falta de compromisso com o Mercado e manutenção por parte dos órgãos competentes ja não me dão credibilidade de mudanças e já não suporto mais seis meses de chuva, vendo tudo alagado sem a mínima condição. Enfim... Não fui pressionada em momento algum a sair, mas as circunstâncias me levaram a tomar essa decisão”.

Em outra postagem Vera desabafa: “Ficou muito difícil, depois que tiveram a infeliz ideia de interditar durante o dia e fazer um calçadão sem necessidade, perdi meus fregueses que estacionavam durante o dia todo, e depois fechou o banco Basa, o palácio do Governo mudou para o CPA, a academia Wim fechou, lojas ao redor, enfim a chuva começou e o mercado molha mais dentro do que fora, é assim, a queda dos movimentos no único evento semanal que ocorre ha muitos anos, enfim fui vencida pelo cansaço”.

Nossa reportagem em conversa com o presidente da Funcultural Antônio Ocampo Fernandes, antes da Vera tomar a decisão de fechar o Bar, foi informada, que a prefeitura está publicando o Edital de Chamamento Público cujo objetivo, é classificar uma empresa para assumir a administração do Mercado, inclusive, um dos quesitos exigidos é a reforma do telhado, para acabar com as goteiras. Ficamos sabendo que duas empresas já manifestaram o desejo de assumir a administração do Mercado, os projetos das duas, estão sendo analisados pelos técnicos da prefeitura, ainda este ano, segundo Ocampo, ficaremos sabendo quem vai administrar o Mercado Cultural.