Amazon Fort é acusada de despejar material tóxico de antiga termoelétrica em áreas impróprias; Confira vídeo

Amazon Fort é acusada de despejar material tóxico de antiga termoelétrica em áreas impróprias; Confira vídeo

Material é oriundo de um vazamento de combustível da Guascor

Porto Velho, RO - Uma denúncia gravíssima contra a empresa Amazon fort Soluções Ambientais vem dando o que falar no interior do Estado. A empresa é acusada de despejar lixo tóxico retirado de uma antiga usina termelétrica instalada em Rolim de Moura, em cabeceiras de pontes e áreas proibidas na cidade vizinha de Castanheiras. 

Laudos da Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) comprovam a presença de substâncias tóxicas e cancerígenas - benzeno e xileno - oriundo desses materiais encontrados nessas áreas, uma delas, onde seria construído um hospital. A denúncia foi feita à no final do ano passado e só confirmada agora. 

A empresa foi contratada para descontaminar a área da antiga termelétrica, onde houve vazamento de combustível, e o material deveria ser transportado para tratamento em Porto Velho, mas acabou indo parar na vizinha Castanheiras, cerca de 60 quilômetros de onde foi retirado. 

O presidente da Câmara Municipal de Castanheiras, Isaías Fernandes, questionado por um jornalista de Rolim de Moura sobre a denúncia, disse não saber da origem dos aterros e que a situação está trazendo muita preocupação e obrigará o Legislativo a procurar saber mais sobre a origem do material. 

“Só tínhamos conhecimento de que tava vindo de Rolim e era uma construção que vinha sendo demolida. O prefeito aproveitou a oportunidade para trazer como aterro para a cidade”, disse o vereador. A preocupação maior, segundo ele, é que o material tenha sido usado na construção do hospital e comprometer a qualidade da água dos poços que abasteceram a unidade.

CONFIRA VÍDEO: