Agronegócio movimenta a economia no estado na 8ª Rondônia Rural Show

Agronegócio movimenta a economia no estado na 8ª Rondônia Rural Show

Porto Velho, RO - Os representantes das dez delegações estrangeiras e de outras partes do Brasil que começam aportar em Ji-Paraná a partir desta segunda-feira (20), na região central do estado, com o objetivo de visitar a 8ª Rondônia Rural Show, terão a oportunidade de conhecer a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) rondoniense que em dez anos cresceu 98,52%, saltando em 2009 de R$ 20,3 bilhões para 40,3 bilhões, em 2018.

O valor Bruto da Produção em Rondônia em 2019 está projetado para R$ 9,5 bilhões, sendo que a pecuária participa com R$ 6,4 bilhões, assim como as lavouras, soja, milho, café, leite, peixe e outros produtos oriundos do campo engrossam a fatia do bolo com R$ 3,1 bilhões.

Os números apresentados pela Coordenação de Desenvolvimento Agropecuário da Secretaria de Agricultura (Seagri) apontam que Rondônia está entre os 9 estados que mais cresceram nos últimos dez anos, encontrando-se na 9ª posição no ranking nacional. Isso envolve a força de trabalho, o tamanho de mercado e a taxa de crescimento impulsionado pelo agronegócio.

Neste clima positivo, o governador Marcos Rocha, ao instalar a sede administrativa do Governo em Ji-Paraná, a partir de quarta-feira (22), até 25 de maio, capitaneado pela equipe do Secretário de Agricultura, Evandro Padovani, responsável pela organização da 8ª Rondônia Rural Show, terá para apresentar aos visitantes, inclusive diretores de empresas multinacionais de São Paulo e Rio Grande do Sul, que produzem tratores e implementos agrícolas de última geração, um estado interessante para futuros negócios. Por certo, eles têm interesses em conhecer um pouco da economia deste estado. E vender seus produtos, é claro.

MOVIMENTANDO A ECONOMIA

Não existem mais vagas nos hotéis de luxo, pensões, pousadas, até nos motéis, a maioria deles estão com seus aposentos temporariamente alugados para os visitantes da 8ª Rondônia Rural Show. Os retardatários estão buscando alojamentos nos municípios vizinhos, como Presidente Médici e Ouro Preto do Oeste, por valores inflacionados. Vendedores de espetinhos, cachorro quente, donos de pequenos e médios restaurantes estão faturando alto, pois existe cliente para todo o tipo de comércio desde os empresários abastados aos prestadores de serviços braçais. O evento tem movimentado a economia local e gerado lucros.

Dois exemplos: o gerente de uma das maiores churrascarias de Ji-Paraná, Pedro Locatelli, informa que o movimento aumentou 100% nos últimos dias, passando de 120 para mais de 300 clientes por almoço. O administrador de uma das maiores redes de supermercados na cidade relata que nos últimos 25 dias aumentou as vendas principalmente de gêneros alimentícios, em 12%.