Ações reduzem números de acidentes em RO, mas imprudência ainda é alta

Ações reduzem números de acidentes em RO, mas imprudência ainda é alta

Porto Velho, RO - Os acidentes de trânsito ainda são os responsáveis pela segunda maior causa de mortes no Brasil. Em 2018 só o Comando Geral do Corpo de Bombeiros do Estado de Rondônia registrou mais de sete mil ocorrências de acidentes de trânsito entre fatais, não-fatais e sem vítimas. De janeiro a maio do mesmo ano foram mais de 2.813 acidentes registrados, com 36 vítimas fatais ao todo. Já de janeiro a maio de 2019, o número de acidentes em Rondônia reduziu para 2.362, porém o número de vítimas fatais aumentou para 39.

Este ano a Campanha Maio Amarelo abordou a temática “No trânsito o sentido é a vida” e teve bastante aceitação popular. O Governo do Estado em parceria com vários órgãos desenvolve todos os anos ações de conscientização e redução de acidentes, para que mais mortes sejam evitadas. A imprudência e a combinação perigosa de álcool e direção estão entre as maiores causas de acidentes em Rondônia, é o que afirma o Wândrio Bandeira dos Anjos, major do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia (CBMRO).

“A campanha busca chamar a atenção da população, além de atuar de forma preventiva para que os números sejam reduzidos. Quando se fala em Corpo de Bombeiros muitos pensam em incêndios, mas no âmbito nacional, cerca de 70% das nossas ocorrências estão ligadas, hoje, a atendimentos pré-hospitalares, neste caso socorro às vítimas de acidentes de trânsito”.

O movimento Maio Amarelo foi criado em 2014 pelo Observatório Nacional de Segurança Viária e hoje acontece em todos os estados da federação, com intensas ações de conscientização em órgãos públicos, na imprensa, em escolas por meio de palestras, na zona rural, no trânsito entre outros locais. Além da conscientização o governo de Rondônia investe também em treinamentos de capacitação para que o profissional consiga salvar a vítima de acidente no menor tempo possível.

“O primeiro passo do bombeiro ao chegar em uma cena de acidente é verificar em que situação se encontra a vítima, e logo após prestar os primeiros socorros, de forma que ela chegue com vida ao hospital. Nossa meta é não perder aquela vítima para o trânsito”,  Wândrio Bandeira, Major do CBMRO.

Segundo ele, embora de grande importância, falta ainda maior responsabilidade por parte da população. A imprudência é causada em sua maioria pelo desrespeito às leis de trânsito e a velocidade acima do permitido. Os motociclistas da faixa etária dos 15 aos 49 anos estão entre as maiores vítimas fatais. Eliezer Matildes dos Santos trabalha como ambulante em diferentes pontos da cidade e diz que a cada dia o ser humano se preocupa menos com a própria vida e a com a vida dos demais.

“O que mais vejo são acidentes, principalmente envolvendo motos. Os motociclistas se arriscam sem pensar na própria vida. Já os motoristas não desgrudam do celular e aí já sabe, é acidente na certa” advertiu o comerciante.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em 2020 quase dois bilhões de pessoas devam morrer vítimas de acidentes de trânsito. Uma realidade assustadora que pode ser evitada por meio de ações de conscientização e maior responsabilidade no trânsito.